Nosso site usa cookies para melhorar a experiência do usuário e recomendamos aceitar seu uso para aproveitar ao máximo a navegação

Uma equipe de 200 sacerdotes te comentam o Evangelho do dia

Ver outros dias:

Dia Litúrgico: Sexta-feira da 15ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 12,1-8): «Se tivésseis chegado a compreender o que significa, ‘Misericórdia eu quero, não sacrifícios’, não condenaríeis inocentes. De fato, o Filho do Homem é Senhor do sábado». Naquele tempo, num dia de sábado, Jesus passou pelas plantações de trigo. Seus discípulos estavam com fome e começaram a arrancar espigas para comer. Vendo isso, os fariseus disseram-lhe: «Olha, os teus discípulos fazem o que não é permitido fazer em dia de sábado!». Jesus respondeu: «Nunca lestes o que fez Davi, quando ele teve fome e seus companheiros também? Ele entrou na casa de Deus e todos comeram os pães da oferenda, que nem a ele, nem aos seus companheiros era permitido comer, mas unicamente aos sacerdotes? Ou nunca lestes na Lei, que em dia de sábado, no templo, os sacerdotes violam o sábado e não são culpados? Ora, eu vos digo: aqui está quem é maior do que o templo. Se tivésseis chegado a compreender o que significa, ‘Misericórdia eu quero, não sacrifícios’, não condenaríeis inocentes. De fato, o Filho do Homem é Senhor do sábado».

Ilustração: Pili Piñero

Hoje, temos de aguentar outra vez a raiva de alguns fariseus. Jesus e os seus discípulos estavam a atravessar uma seara. Talvez já fosse meio-dia e tinham fome. Começaram a apanhar espigas para comerem. Normal, não é? Pois alguns começaram a criticá-los. O problema não era comer o grão das espigas, mas é que era sábado… e ao sábado - segundo eles - não era lícito arrancar espigas (??).

- Se não rezarmos pomo-nos no lugar de Deus, inventamos leis e, em lugar de usarmos de misericórdia, começamos a perseguir os “inocentes que não pensam como eu”.