Nosso site usa cookies para melhorar a experiência do usuário e recomendamos aceitar seu uso para aproveitar ao máximo a navegação

Uma equipe de 200 sacerdotes te comentam o Evangelho do dia

Ver outros dias:

Dia Litúrgico: Terça-feira da 4ª semana da Páscoa

Evangelho (Jo 10,22-30): «Eu e o Pai somos um». Em Jerusalém celebrava-se a festa da Dedicação. Era inverno. Jesus andava pelo templo, no pórtico de Salomão. Os judeus, então, o rodearam e disseram-lhe: «Até quando nos deixarás em suspenso? Se tu és o Cristo, dize-nos abertamente!». Jesus respondeu: «Eu já vos disse, mas vós não acreditais. As obras que eu faço em nome do meu pai dão testemunho de mim. Vós, porém, não acreditais, porque não sois das minhas ovelhas. As minhas ovelhas escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna. Por isso, elas nunca se perderão e ninguém vai arrancá-las da minha mão. Meu Pai, que me deu estas ovelhas, é maior do que todos, e ninguém pode arrancá-las da mão do Pai. Eu e o Pai somos um».

Ilustração: Sr. Josep Lluís Martínez i Picañol (Picanyol)

Hoje, vemos Jesus no Templo de Jerusalém. Alguns judeus perguntam-lhe se Ele é o Messias, o Salvador. Jesus queixa-se de que não acreditam n’Ele. Já fez muitos milagres com o poder que lhe concede seu Pai Deus: mas nem assim O ouvem.

- Jesus diz que «eu e o Pai somos um»: é o momento em que Jesus se declara abertamente como Deus. E não quiseram crer n’Ele, apesar dos milagres. Tu, acreditas? Mas não esqueças uma coisa: para ter confiança em Deus é preciso falar com Ele; temos de rezar!