Nosso site usa cookies para melhorar a experiência do usuário e recomendamos aceitar seu uso para aproveitar ao máximo a navegação

Uma equipe de 200 sacerdotes te comentam o Evangelho do dia

Ver outros dias:

Dia Litúrgico: Sábado VII da Páscoa

Evangelho (Jo 21,20-25): Ora, Jesus fez ainda muitas outras coisas. Se todas elas fossem escritas uma por uma, creio que nem o mundo inteiro poderia conter os livros que seria preciso escrever. Voltando-se, Pedro viu que também o seguia o discípulo que Jesus mais amava, aquele que na ceia se tinha inclinado sobre seu peito e perguntado: «Senhor, quem é que vai te entregar?». Quando Pedro viu aquele discípulo, perguntou a Jesus: «E este, Senhor?». Jesus respondeu: «Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa? «Tu, segue-me». Por isso, divulgou-se entre os irmãos que aquele discípulo não morreria. Ora, Jesus não tinha dito que ele não morreria, mas: «Se eu quero que ele permaneça até que eu venha que te importa?».

Este é o discípulo que dá testemunho destas coisas e as pôs por escrito. Nós sabemos que seu testemunho é verdadeiro. Ora, Jesus fez ainda muitas outras coisas. Se todas elas fossem escritas uma por uma, creio que nem o mundo inteiro poderia conter os livros que seria preciso escrever.

Hoje, lemos as últimas palavras do Evangelho segundo S. João. Entre os Apóstolos João também tem um “lugar especial”: é testemunha directa da morte de Jesus e do próprio Jesus Cristo ressuscitado. João actua como um “notário”: ele quer dar «testemunho destas coisas» e é ele mesmo quem «as escreveu». Com palavras parecidas João quis também certificar a morte real de Cristo com o coração trespassado por uma lança.

- A vida de Jesus é apaixonante, rica em palavras e feitos. S. João, que sobreviveu aos outros Apóstolos, narra o essencial. Muitas outras coisas podemos nós “ver” apoiados na Tradição da Igreja e na meditação pessoal.