Uma equipe de 200 sacerdotes te comentam o Evangelho do dia

Ver outros dias:

Dia Litúrgico: Domingo III (A) do Advento

Evangelho (Mt 11,2-11): Naquele tempo, ora, João Batista, estando na prisão, ouviu falar das obras do Cristo e mandou alguns discípulos para lhe perguntar: «És tu, aquele que há de vir, ou devemos esperar outro?». Jesus respondeu-lhes: «Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo: cegos recuperam a vista, paralíticos andam, leprosos são curados, surdos ouvem, mortos ressuscitam e aos pobres se anuncia a Boa-Nova. E feliz de quem não se escandaliza a meu respeito!».

Enquanto os enviados se afastavam, Jesus começou a falar às multidões sobre João: «Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? Que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Olhai, os que vestem roupas finas estão nos palácios dos reis. Que fostes ver então? Um profeta? Sim, eu vos digo, e mais do que profeta. Este é de quem está escrito: ‘Eis que envio meu mensageiro à tua frente, para preparar o teu caminho diante de ti’. Em verdade, eu vos digo, entre todos os nascidos de mulher não surgiu quem fosse maior que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele».

«Entre todos os nascidos de mulher não surgiu quem fosse maior que João Batista»

Dr. Johannes VILAR
(Köln, Alemanha)

Hoje, como no domingo passado, a Igreja apresenta-nos a figura de João Batista. Ele tinha muitos discípulos e uma doutrina clara e diferençada: para os publicanos, para os soldados, para os fariseus e saduceus…. A sua obrigação é preparar a vida pública do Messias. Primeiro enviou João e André, hoje envia outros para que o conheçam. Levam uma pergunta: «És tu, aquele que há de vir, ou devemos esperar outro?» (Mt 11,3). João bem sabia quem era Jesus. Ele mesmo o testemunha: «Eu não o conhecia, mas aquele que me mandou batizar em água disse-me: Sobre quem vires descer e repousar o Espírito, este é quem batiza no Espírito Santo» (Jo 1,33). Jesus responde com fatos: os cegos vêem e os coxos andam…

João era de caráter firme, no seu modo de viver e de se manter na Verdade, o que lhe custou a prisão e o martírio. Mesmo na prisão fala claramente com Herodes. João ensina-nos a conciliar a firmeza de caráter com a humildade: «Eu não sou digno de lhe desatar a correia do calçado» (Jo 1,27); «Importa que ele cresça e que eu diminua» (Jo 3,30); alegra-se de que Jesus batize mais do que ele, pois considera-se somente “amigo do esposo” (cf. Jo 3,26).

Numa palavra: João ensina-nos a tomar a sério a nossa missão na terra: sermos cristãos coerentes, que se sabem filhos de Deus e que, como tal, agem. Devemos perguntar-nos: — Como se terão preparado Maria e José para o nascimento de Jesus Cristo? Como preparou João os ensinamentos de Jesus? Como nos preparamos nós para comemorar o seu nascimento e para a segunda vinda do Senhor no fim dos tempos? Pois, como dizia São Cirilo de Jerusalém: «Nós anunciamos a vinda de Cristo, não só a primeira, mas também a segunda, muito mais gloriosa do que aquela. Pois aquela esteve impregnada de sofrimento, mas a segunda trará o diadema da glória divina».